Mudanças Climáticas e Patrimônio: Diálogos Transatlânticos

No campo das investigações científicas há poucos espaços para se negar que a Terra tem sofrido com os impactos das mudanças climáticas.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

No campo das investigações científicas há poucos espaços para se negar que a Terra tem sofrido com os impactos das mudanças climáticas. Esses impactos são sentidos de formas distintas pelos territórios e pelas variadas formas de vida que os habitam, em outras palavras, suas intensidades são vivenciadas de acordo com as condições geomorfológicas, histórico de ocupação, manutenção ou não de tradições culturais e elaboração ativa (ou não) de políticas públicas partilhadas entre diferentes atores sociais nestes territórios. Das secas prolongadas às inundações singulares, assim como outros fenômenos atmosféricos atípicos, têm ocorrido em decorrentes dos efeitos dos eventos extremos que caracterizam o momento de transição climática em que vivemos. Os saberes criados, retomados e envolvidos no trato dessas questões geram experiências fundamentais para refletirmos sobre esses eventos e os possíveis planejamentos para o futuro.  Por isso, o diálogo entre estudiosos de diferentes pontos do atlântico e a análise de seus contextos nos fornecem um poderoso instrumento para a reflexão de ferramentas que temos disponíveis para arquitetar novos cenários relativos às mudanças climáticas através do patrimônio.

O tema do patrimônio é basilar para o encaminhamento das discussões sobre mudanças climáticas. Além dos riscos a vida humana, provocado pelos efeitos das mudanças climáticas observamos impactos também em aspectos dos direitos humanos como os sociais, econômicos e culturais.  Esse último item, por sua vez, observada através das manifestações culturais, tangível ou intangível, como expressão da identidade humana, em sua parte patrimonializada, ou seja, seleção socialmente construída de fatos excepcionais e memoráveis de grupos e segmentos da sociedade, desempenham uma função de resiliência que merece a atenção quando tratamos de preservação frentes aos impactos das mudanças climáticas.

Nesse sentido, como parte das ações de interlocução de saberes produzidas pelo Comitê sobre Mudanças Climáticas e Patrimônio do ICOMOS-BR, o presente debate visa a ampliação do diálogo com outros países, permitindo aumentar horizonte dos problemas e soluções encontrados, buscando o fortalecimento das relações internacionais, em particular a transatlântica, e a construção, cada vez mais forte, do conhecimento científico em rede.

PALESTRANTES

Aline Vieira de Carvalho (Nepam/Unicamp)

Benjamin Ortiz Espejel (El Colegio de Puebla/México)

Luiz Oosterbeek (IPT/Portugal)

Silvia Zanirato (EACH/USP)

MEDIADORA

LUANA CAMPOS (Icomos-BR)

Deixe seu comentário

Leia mais

LAP lança novo site

Com uma abordagem mais descontraída, o novo canal pretende ajudar na divulgação científica, educação patrimonial, proteção e valorização do patrimônio cultural arqueológico.

No more posts to show

Contato
Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais – NEPAM
Universidade Estadual de Campinas – Unicamp
Rua dos Flamboyants, 155 – Cidade Universitária Zeferino Vaz
Campinas – CEP 13083-867 – São Paulo – Brasil
Fone: (19) 3251-7690
E-mail: lapunicamp@gmail.com

© 2022 LAP-PAULO DUARTE. Por Marcos Pereira. Laboratório de Arqueologia Pública “Paulo Duarte”.